Turismo Religioso

Turismo Religioso

Turismo religioso no Brasil

O turismo religioso é aquele motivado pela fé popular, realizado em locais de importância religiosa ou em períodos estabelecidos, geralmente para homenagear uma figura sacra como santos e padroeiros, agradecer preces atendidas e, até mesmo, pagar penitências. Por todo o mundo, cidades com características religiosas atraem visitantes em busca de experiências ligadas à fé, religiosidade e à esperança, como o Vaticano para os católicos romanos, Meca para os islâmicos, e Jerusalém, cidade santa para os judeus, islâmicos e cristãos.

O que motiva os turistas de cunho religioso é, principalmente, a necessidade de estar em locais onde a fé apresenta mais intensidade. Existem diferentes tipos de viagem com motivos religiosos, como a Romaria, na qual os romeiros vão aos destinos sagrados apenas para conhecer a religião e o local, a Peregrinação que consiste em cumprir promessas ou votos de divindade, e as viagens de Penitência ou de Reparação, onde o viajante busca se redimir de culpas ou pecados.

No Brasil, pesquisas feitas pelo Ministério do Turismo, em parceria com a FIPE – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, revelou que o nordeste é a região onde o turismo religioso é o segundo tipo de turismo mais comercializado (atrás de sol e praia). Além disso, em 2006, 3,2% do total de turistas nacionais, viajaram por motivação religiosa e, 0,4% dos turistas estrangeiros também apontaram a religião como o fator que os traziam ao Brasil. As pesquisas relacionadas a esse segmento mostram também que todos os anos são realizadas aproximadamente 1,7 milhão de viagens religiosas gerando R$ 6 bilhões em negócios realizados. Só na cidade de Aparecida (SP), a movimentação de visitantes ao Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida é de 7 milhões de pessoas todos os anos no feriado de 12 de outubro.

Aparecida, em São Paulo, é o local que mais se destaca no turismo religioso brasileiro. Nascida de um milagre em 1717, a cidade vive do comércio movimentado pela visita de pessoas de todas as partes do país, que se dirigem à cidade para agradecer ou pedir graças à Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Sede do Santuário Nacional possui vários prédios antigos, Seminários, outras igrejas e pontos turísticos, e ainda conta com infraestrutura adequada para atender os romeiros de todos os lugares.

O país ainda tem como datas principais os feriados de Natal, Páscoa e os de Padroeiras e Padroeiros estaduais e municipais. Nessas épocas é comum a peregrinação de fiéis para determinadas cidades ou romarias por diversos locais visando a realização de pedidos ou agradecimentos.
Fontes: (Portal online do Ministério do Turismo do Brasil; Portal online da Revista do Turismo; Portal online da Revista Ecotour;
Portal online Estudos Turísticos)

 

IGREJAS ANGLICANAS
A presença do anglicanismo no Brasil teve início após a vinda da corte portuguesa ao Rio de Janeiro. Com o Tratado de Comércio e Navegação de 1810 entre Portugal e Inglaterra, permitiu-se a construção de igrejas de denominações protestantes, desde que os templos tivessem a aparência de uma residência comum, sem torres ou sinos, e não buscassem a conversão de cristãos católicos brasileiros.

Desta forma, o primeiro templo construído por protestantes no Brasil foi da Igreja Anglicana, considerado também o primeiro na América do Sul, na cidade do Rio de Janeiro. Antes da liberdade de culto aprovada pelo poder régio, os anglicanos residentes no Brasil reuniam-se em residências e navios ingleses para realizarem seus cultos. As primeiras capelanias ficaram subordinadas diretamente à Igreja da Inglaterra, e atendiam somente súditos ingleses. Foram construídas capelas em São Paulo, Santos, Rio de Janeiro, Belém e Recife.

Aproximadamente na década de 1860 houve a tentativa de se implantar a igreja anglicana voltada para o povo brasileiro. Para isso o missionário estadunidense Rev. Richard Holden tentou abrir a primeira missão em Belém do Pará, e depois em Salvador da Bahia, mas essas iniciativas foram mal-sucedidas.

A partir do final da década de 1990, a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil começou a ter conflitos internos, à semelhança do ocorrido na Igreja Episcopal dos Estados Unidos da América: questões ligadas ao liberalismo versus ortodoxia e modernismo versus Tradição. Assim, surgem as Igrejas Anglicanas independentes ou continuantes também no Brasil. O fenômeno da fratura no Anglicanismo brasileiro aconteceu como nos demais sistemas eclesiais oriundos da Reforma.

Anglicanismo - jurisdições existentes no Brasil
No Brasil, a partir das divisões ocorridas na Igreja Episcopal Anglicana do Brasil e da chegada de jurisdições autônomas estrangeiras, existem diversas denominações anglicanas. Devido à diversidade das vertentes existentes no anglicanismo (quais sejam: anglo-católica, evangélica, carismática e até liberal), encontram-se no País representantes de todas elas. Há, também, denominações (especialmente das vertentes "anglo-católica" e "liberal") que, ou são oriundas de dissidências da Igreja Católica Apostólica Brasileira, ou recepcionaram clérigos desta última Igreja, assim como clérigos e religiosos dissidentes da Igreja Católica Apostólica Romana.
Comunidade Anglicana Cristo Ressurreto
Capela de Santo Agostinho de Cantuária

 

IGREJAS CATÓLICAS
O catolicismo no Brasil foi trazido por missionários que acompanharam os exploradores e colonizadores portugueses. O catolicismo possui grande presença social, política e na cultural no Brasil.

O catolicismo apostólico romano é atualmente a maior religião do Brasil, ativa no país desde o período pré-colonial, quando foi introduzida por missionários que acompanhavam os colonizadores portugueses. A Igreja Católica exerce grande influência nos aspectos político, social de cultural dos brasileiros.

O catolicismo tem sido a principal religião do Brasil desde o século XVI. Ela foi introduzida por missionários que acompanharam os exploradores e colonizadores portugueses nas terras do país recém-descoberto. O Brasil é considerado o maior país do mundo em número de católicos nominais, com 73,8% da população brasileira declarando-se católica, de acordo com o Censo do IBGE de 2000. Porém, sua hegemonia deve ser relativizada devido ao grande sincretismo religioso existente no país Entre as tradições populares do catolicismo no Brasil estão as peregrinações à Igreja de Nossa Senhora Aparecida. Nossa Senhora Aparecida acabou por tornar-se a Padroeira do Brasil. Outras festas católicas importantes são o Círio de Nazaré, Festa do Divino e a Festa do Divino Pai Eterno, mais conhecida como Romaria de Trindade. No transcorrer do século XX, foi diminui o interesse pelas formas tradicionais de religiosidade no país. Um reflexo disso é o grande número de pessoas que se intitulam católicos não-praticantes. Dentre as principais igrejas católicas de Belo Horizonte pode-se destacar a Igreja Nossa Senhora de Lourdes.

A igreja foi definitivamente inaugurada em 1923. O projeto arquitetônico, em estilo gótico puro, chegou a receber algumas adaptações, mas manteve a predominância deste estilo. Em 1958 aconteceu a solenidade de sagração da Igreja de Lourdes, elevada, por ato do Papa XII, à categoria de Basílica.
Basílica de Nossa Senhora de Lourdes  
Capela de Nossa Senhora do Líbano
Catedral de Nossa Senhora da Boa Viagem
Igreja São Francisco de Assis
Igreja de São José
Igreja de Nossa Senhora do Carmo
Igreja dos Sagrados Corações
Igreja de São Sebastião
Igreja de Nossa Senhora Rainha
Santuário São Judas Tadeu
Capela Nossa Senhora do Rosário
Santuário Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais

 

CENTROS ESPÍRITAS
Nascido no século XIX, no dia 18 de Abril de 1857, o Espiritismo se estruturou a partir de pretensos diálogos estabelecidos por espíritos desencarnados que, se manifestando por meio de médiuns, discorreram sobre temas religiosos sob a ótica da Moral Cristã, ou seja, tendo por princípio o amor ao próximo. Desta forma foi estabelecido o preceito primário da Doutrina, de que só é possível buscar o aprimoramento espiritual através da caridade aos semelhantes. Lema: Fora da caridade não há salvação), além de trazer a luz novas perspectivas sobre diversos temas de grande relevância filosófica e teológica.

O Espiritismo pretende chegar à compreensão da realidade mediante a integração entre as três formas clássicas de conhecimento, que seriam a ciência, a filosofia e a moral. No caso do Espiritismo, a principal diferença entre esta doutrina e a maioria das demais religiões é sua crença na possibilidade de comunicação entre o mundo corporal e o mundo espiritual, contudo, a fé nesta possibilidade de comunicação gera grande confusão por parte dos leigos entre o Espiritismo e as religiões afro-brasileiras, contudo, cada uma delas possui origens completamente distintas umas das outras.
União Espírita Mineira


IGREJAS EVANGÉLICAS

O termo protestante é derivado (via francês ou alemão Protestant) do latim protestari. Significa declaração pública/protesto, referindo-se à carta de protesto por príncipes luteranos contra a decisão da Dieta de Speyer de 1529, que reafirmou o Édito de Worms de 1521, banindo as 95 teses de Martinho Lutero do protesto contra algumas crenças e práticas da Igreja Católica do século XVI. O termo foi usado posteriormente para descrever todos os grupos que protestavam contra a Igreja Católica.

O termo evangélico, embora originalmente significasse aquilo que é concernente ao evangelho, no Brasil ganhou predominantemente a acepção de protestante, numa referência aos cristãos que adotam a herança da Reforma Protestante, notadamente os chamados Solas da Reforma: Sola Scriptura (somente a Bíblia), Sola Gratia et Fide (somente a graça mediante a fé), Solus Christus (somente Cristo) e Soli Deo Gloria  (glória somente a Deus).

Em algumas áreas de colonização germânica no Brasil o termo Evangélico refere-se às igrejas Luteranas e Reformadas, originárias da Reforma Protestante do século XVI e na ênfase na necessidade do indivíduo passar por uma conversão pessoal ("nascer de novo").

As igrejas evangélicas mais conhecidas em Belo Horizonte são:

Igreja Batista da Lagoinha
8ª Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte
Comunidade Projeto Adoradores
Igreja Batista Central de Belo Horizonte
Igreja Batista Getsêmani
Igreja Metodista Central
Assembléia de Deus
Igreja Universal do Reino de Deus Catedral da Fé
Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Belo Horizonte
Igreja Internacional da Graça de Deus


SINAGOGAS ISRAELITAS

A história do judaísmo é a história de como se desenvolveu a religião principal da comunidade judaica que, ainda que não seja unificada, contém princípios básicos que a distingue de outras religiões. De acordo com a visão religiosa o judaísmo é uma religião ordenada pelo Criador através de um pacto eterno com o patriarca Abraão e sua descendência. Já os estudiosos creem que o judaísmo seja fruto da fusão e evolução de mitologias e costumes tribais da região do Levante unificadas posteriormente mediante a consciência de um nacionalismo judaico.

Ainda que seja intimamente relacionada à história do povo judeu, a história do judaísmo se distingue por enfatizar somente a evolução da religião e como esta influenciou o povo judeu e o mundo. O judaísmo afirma uma continuidade histórica que abrange mais de 3.000 anos. É uma das mais antigas religiões monoteístas e a mais antiga que sobrevive até os dias atuais.
Sinagoga Bet Yacov

Sinagoga Beith Chabad

Sinagoga Tiferet Israel

 

MESQUITAS MULÇUMANAS
Há hoje no Brasil, um milhão de Muçulmanos, e estão espalhados por todo o território brasileiro, sendo que as maiores comunidades se encontram nas cidades de, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba, Rio Grande do Sul e Foz do Iguaçu.

Na sua maioria são descendentes de árabes como Libaneses que é a maioria, Sírios, Palestinos, Egípcios e outras nacionalidades, somando-se a eles muitos outros convertidos Brasileiros. A cada ano que passa aumenta ainda mais o número de brasileiros convertidos ao Islam, já existe hoje centros islâmicos fundado por brasileiros, aonde há diversas atividades tanto religiosa, como de divulgação do Islamismo para os brasileiros, com palestras em escolas, faculdades e universidades, distribuição de livros com temas da religião Islâmica, e panfletos informativos.

Em todo o país existem mais de 100 mesquitas e salas de oração, na capital paulistana a 5 mesquitas, incluindo a primeira mesquita edificada na América Latina, A Mesquita Brasil, a principal mesquita do Brasil, que começou a ser construída em 1929.

Curiosidade: Uma mesquita (em árabe:مسجد) é um local de culto para os seguidores do islã. Os muçulmanos freqüentemente referem-se à mesquita utilizando o seu nome em árabe, masjid (plural: masajid). A palavra masjid significa templo ou local de culto e deriva da raiz árabe sajada (raiz s-j-d, "prostrar-se", em alusão às prostrações realizadas durante as orações islâmicas). A palavra mesquita é usada para se referir a todos os tipos de edifícios dedicados ao culto muçulmano, embora em árabe seja feita uma distinção entre as mesquitas de dimensões menores e as mesquitas de maior dimensão, que possuem estruturas sociais. Estas últimas são denominadas como "masjid jami".

O objetivo principal da mesquita é servir como local onde os muçulmanos possam se encontrar para rezar.
Sociedade Beneficente Muçulmana de Belo Horizonte – Mesquita Islã

 

IGREJAS ORIENTAIS
Igreja Ortodoxa
O termo "ortodoxa” que, em grego, significa doutrina  reta, vem sendo utilizado para designar as igrejas cristãs do Oriente que se separaram da Igreja Católica Apostólica Romana em 1054, e preservam até nossos dias os ritos originais dos padres apostólicos e o Credo Niceno. A Igreja originalmente tinha 5 sedes, ou Patriarcados, em Antioquia, Constantinopla,  Alexandria, Jerusalém e Roma, sendo que todos tinham direitos iguais e eram independentes administrativamente. O Patriarcado de Roma recebeu o titulo de “Primus inter pares”, por estar situado na capital do Império, assumindo a primazia sobre os outros Patriarcados; ainda assim, a maior autoridade da Igreja Cristã era o Concílio Ecumênico, que ainda hoje gere as Igrejas Ortodoxas, mas teve sua autoridade negada pela Igreja Católica romana em 1054. Os ortodoxos, por sua vez, não reconhecem a primazia nem a infalibilidade do Papa.

Uma parte das Igrejas Ortodoxas, que voltou a se unir à Igreja Católica Romana constitui hoje as Igrejas Católicas de Rito Oriental. A Igreja Ortodoxa chegou ao Brasil trazida por imigrantes Árabes, sendo que a primeira Igreja foi construída em São Paulo, em 1904.

A grande Catedral Ortodoxa de São Paulo foi inaugurada em 1954, durante as comemorações do IV centenário da cidade. Os ritos das Igrejas Orientais são sempre solenes e constituem o centro da expressão de sua fé. Não são usados instrumentos musicais, apenas o canto coral; na ornamentação são proibidas imagens esculpidas, mas veneram-se os ícones que representam santos, Jesus e Maria. Como as diferentes igrejas e patriarcados têm autonomia,  desenvolveram-se diferentes liturgias, que correspondem mais a diferenças lingüísticas e a tradições locais do que a um conteúdo doutrinário diferente. Os cinco ritos principais são o bizantino (adotado pela maioria dos ortodoxos), o alexandrino, o antioquino, o armênio e o caldeu.
Bahái
Centro Budista Kadampa Maitreya
Igreja Messiânica Mundial do Brasil
Igreja Seicho-no-iê
Perfect Liberty

 

MATRIZES AFRICANAS

CANDOMBLÉ

O candomblé é uma religião africana trazida para o Brasil no período em que os negros desembarcaram para serem escravos. Nesse período, a Igreja Católica proibia o ritual africano e ainda tinha o apoio do governo, que julgava o ato como criminoso, por isso os escravos cultuavam seus Orixás.

Os orixás, para o candomblé, são os deuses supremos. Possuem personalidade e habilidades distintas, bem como preferências ritualísticas. Estes também escolhem as pessoas que utilizam para incorporar no ato do nascimento, podendo compartilhá-lo com outro orixá, caso necessário.

Os rituais do candomblé são realizados em templos chamados casas, roças ou terreiros. A celebração do ritual é feita pelo pai de santo ou mãe de santo, que inicia o despacho do Exu. Em ritmo de dança, o tambor é tocado e os filhos de santo começam a invocar seus orixás para que os incorporem.

Atualmente pelo menos três milhões de brasileiros revelam-se praticantes deste culto. Salvador é o grande centro desta prática, com aproximadamente 2230 terreiros oficialmente registrados pela Federação Baiana de Cultos Afro-Brasileiros.

Tradicionalmente os orixás, rituais e festas do Candomblé são hoje considerados patrimônios culturais brasileiros, e parte essencial do folclore brasileiro.

 

CONGADO

De origem africana, das áreas do Congo, Moçambique e Angola, o congado chegou ao Brasil com os escravos e passou a ser também uma manifestação católica. Algumas pessoas acreditam que a história do congado em Minas Gerais começou com a vinda de Chico Rei, que era rei na África, e veio pra cá, na metade do século XVIII. Em 1747, ele teria organizado a primeira festa dos negros em Minas, como forma de agradecer a Nossa Senhora do Rosário a benfeitoria de ter enriquecido depois de explorar uma mina abandonada.

O Reinado de Nossa Senhora do Rosário, ou Congado, constitui-se numa importante expressão da religiosidade e da cultura afrobrasileira presentes em Minas Gerais. Consiste num ciclo anual de homenagens a Nossa Senhora do Rosário e que envolve a realização de novenas, o levantamento de mastros, procissões, cortejos, coroações de reis e rainhas, cumprimento de promessas, cantos, danças, banquetes coletivos e entrega de coroas.

A Festa de Congado ou Reinado acontece entre os meses de agosto e outubro, e conta com grande envolvimento da população na Região Metropolitana de Belo Horizonte e em várias cidades do interior de Minas.
Fontes para consulta:
Congregação Nossa Senhora do Rosário do Barreiro de Cima - 3336-8996
Congado Nossa Senhora do Rosário - 3386-1699
 

UMBANDA

O nome Umbanda vem do dialeto Bantu e que quer dizer “União dos Povos”. A umbanda tem origem nas senzalas em reuniões onde os escravos, vindos da África, louvavam os seus deuses através de danças e cânticos e incorporavam espíritos. É uma religião heterodoxa brasileira, cuja evolução do sincretismo religioso existente no Brasil foi resultado de motivações diversas.

A Umbanda tem como lugar religioso o templo, centro, tenda ou terreiro, o local no qual os umbandistas se encontram em sessões, giras ou cultos para promover atendimentos espirituais por meio da incorporação dos seus guias e entidades.

O chefe é o pai ou mãe de santo, mais correntemente chamado de sacerdote umbandista. São os médiuns mais experientes e com maior conhecimento, normalmente fundadores do templo. Também são eles quem coordenam as giras e que irão incorporar o guia-chefe, que comandará a espiritualidade e a materialidade durante os trabalhos. Como uma religião espiritualista, a ligação entre os encarnados e os desencarnados se faz por meio dos médiuns.

Divulgar conteúdo