Belotur no encontro dos Observatórios de Turismo

tags

Quarta-feira, 9 Maio, 2018

por: Ascom

Evento aconteceu em Foz do Iguaçu: intercâmbio de informações e tendências em turismo

Foto: Gabriel Pasini

A Belotur está participando da 2ª reunião da Rede Brasileira de Observatórios de Turismo, que aconteceu em Foz do Iguaçu (PR) até esta quarta-feira (9/5). A ideia é fortalecer a rede de observatórios, por meio do debate, intercâmbio de informações e experiências sobre inovações, tendências e modelos de pesquisas em turismo. A primeira reunião da rede aconteceu em Belo Horizonte em novembro de 2017, como parte do II Seminário Mineiro de Pesquisa e Inovação em Turismo.
O evento, que conta com 26 observatórios de todo o país, busca estabelecer critérios básicos para a integração da rede, utilizando de sistemas de informações, inovação, tecnologia e sustentabilidade de forma colaborativa. Conteúdo de extrema importância como instrumento de construção do conhecimento, na tomada de decisões e na formulação estratégica de políticas, programas, ações e negócios nos setores público e privado. Vale ressaltar que o Ministério do Turismo incorporou como uma das estratégias do Plano Nacional de Turismo (PNT) 2018/2022 a efetivação e apoio na estruturação da rede de observatórios de turismo em âmbito nacional.
Sua programação contempla ações de capacitação dos observatórios, reunião da rede, debates e apresentações com os seguintes temas: ‘Os observatórios de turismo como instrumentos para a construção de destinos turísticos inteligentes’, e ‘Como viabilizar a realização e divulgação de pesquisas para facilitar tomar decisões?’. Além disso, mini-cursos tratam temas como conteúdos de turismo em mídias sociais, avaliação e mensuração dos impactos econômicos do turismo, fatores de atratividade e impactos nas recomendações online.
Observatório do Turismo de Belo Horizonte
Instituído em 2013, o Observatório do Turismo de Belo Horizonte, integrante da composição organizacional da Belotur, expandiu nos últimos anos a aplicação de pesquisas  e consequentemente a obtenção de dados primários que vem contribuindo nas decisões estratégicas da empresa e nas ações de comunicação com a divulgação sistemática das informações. Um dos casos em que essa situação se aplica é o Carnaval de Belo Horizonte em que os dados obtidos a partir de pesquisas primárias auxiliam a dimensionar a evolução desse fenômeno na cidade, bem como no planejamento estratégico, tático e operacional do evento.
Além disso, com a evolução da tecnologia e da inovação permeando os diversos setores da economia, a Belotur tem perspectivas de utilizar dados de big data em seus estudos e pesquisas, já que a utilização desse tipo de dado vem promovendo uma revolução no setor, tendo em vista a antecipação de tendências, preferências, levantamento de informações em níveis que não seriam possíveis nos modelos tradicionais.
 
 
O termo big data implica numa maneira de repaginar o que já existe, com mais recursos tecnológicos e digitais no armazenamento de informações que podem impactar negócios e permitir a condução de novas estratégias. Além de aumentar a capilaridade das informações e conseguir filtrar, de maneira ainda mais específica, a análise desses dados, buscando padrões nas informações coletadas que podem auxiliar na tomada de decisão.