Parque Municipal Américo Renné Giannetti

Foto: Click Estudio/Acervo Belotur

Localizado na região central de Belo Horizonte, foi inaugurado em 26 de Setembro de 1897, antes mesmo da inauguração nova capital mineira. É o patrimônio ambiental mais antigo de Belo Horizonte e foi projetado no final do século XIX pela comissão construtora encarregada de planejar a nova capital de Minas Gerais. Possui uma área de 182 mil metros quadrados de extensa vegetação. Abriga o Teatro Francisco Nunes, Orquidário, um pequeno parque de diversões e a parte dos fundos do Palácio das Artes.
 
Após 111 anos de sua implantação, o parque forma hoje um ecossistema representativo com árvores centenárias e ampla diversidade de espécies. Possui diversas nascentes que abastecem três lagoas e cerca de 280 espécies de árvores exóticas e nativas, como: figueiras, jaqueiras, cipreste-calvo, flamboyant, eucalipto, sapucaia, pau-mulato e pau-rei. O espaço também abriga mais de 100 espécies de aves entre bem-te-vis, sabiás, garças, periquitos, pica-paus, sanhaços, saíras e outros animais, como gambás e micos. É um verdadeiro refúgio para a fauna silvestre.
 
O Parque Municipal Américo Renné Giannetti foi projetado em estilo romântico inglês, pelo arquiteto paisagista francês, Paul Villon, para ser o maior e mais bonito parque urbano da América Latina.  Antes de sua implantação, o espaço abrigava a Chácara do Sr. Guilherme Vaz de Mello, conhecida como Chácara do Sapo. O local serviu de moradia para o próprio Paul Villon e para Aarão Reis, engenheiro chefe da Comissão Construtora, encarregada de planejar e construir a nova capital de Minas Gerais. Em 1924, o governador do Estado Olegário Maciel transfere a residência oficial para o Parque Municipal, até o final de sua gestão.
 
O parque possuía, originalmente, uma área de 600 mil metros quadrados, A partir de 1905, inicia-se o processo de perda de espaços para construções diversas e de sua área original, o parque chega ao século XXI com apenas 182 mil metros quadrados.


Endereço: Avenida Afonso Pena, 1377 - Centro
Telefone: 31 3277-4161

Site: http://www.pbh.gov.br/parques

Horário de Funcionamento: 3ª a dom. e feriados das 6h às 18h

Informações Adicionais:

Flora | O parque abriga 280 tipos diferentes de árvores de diversos lugares do Brasil e do mundo, além de 330 espécies de plantas ornamentais, que complementam o paisagismo dos jardins. Possui muitas árvores de grande porte, exóticas e nativas, como figueiras, jaqueiras, cipreste-calvo, flamboyant, eucalipto, sapucaia, pau-mulato e pau-rei, que são fundamentais para a sobrevivência da fauna. As ruas do Parque são chamadas de Alamedas por possuírem árvores de ambos os lados. Os nomes indicam a espécie mais representativa. Em um viveiro de 750 metros quadrados, são cultivadas cerca de 120 espécies de plantas medicinais. Existem espécies como erva-doce, melissa, arruda, boldo, bálsamo, hortelã pimenta, funcho, erva-cidreira, chapéu-de-couro e quebra-pedra muito utilizada na “medicina popular”. Mensalmente é realizada uma exposição de plantas, com doações de mudas e folhetos explicativos, na praça em frente à administração.
 
Fauna | O Parque Municipal é um refúgio para a fauna silvestre. Apresenta enorme variedade de aves, com cerca de 100 espécies, como bem-te-vis, tucanos, sabiás, garças e periquitos. Dentre os mamíferos estão os morcegos que se alimentam de frutas e insetos, gambás-de-orelha-branca e o mico-estrela, animal símbolo de Belo Horizonte. Possuem também insetos como abelhas, bichos-pau, besouros, formigas e mais de 60 espécies de borboletas, que ajudam a manter o equilíbrio do meio ambiente.

Recursos Hídricos | O Parque Municipal possui três lagoas e diversas nascentes que afloram em diferentes locais. A mais importante e volumosa, que se encontra na área do Hemominas, alimenta as duas cascatinhas e as lagoas do Quiosque e dos Marrecos. Nas lagoas são encontradas espécies de peixes como dourados, cascudos, tilápias e carpas. O cágado-de-barbicha, que representa os répteis, também pode ser observado no parque. O parque possui também o Jardim das Borboletas que é um espaço criado para o cultivo de plantas que atraem e fornecem alimento a todas as fases da vida das borboletas e mariposas. O Jardim das Borboletas proporciona um enriquecimento ambiental, favorecendo a conservação das espécies e o equilíbrio ecológico. Semanalmente acontece trilha monitorada no jardim.
 
Trilhas Histórico-Ambientais | São caminhadas pelas alamedas do Parque, com paradas em locais importantes do ponto de vista histórico e ambiental.
 
Infraestrutura do parque:
 
Brinquedos
Equipamentos de ginástica
Pista de caminhada
Quadra poliesportiva
Pista para skate
Quadra de tênis
Parque de diversões
 
 
Acessibilidade:
Rampa, corrimão e sanitário.

Serviços:

Adaptado para portadores de necessidades especiais
Área para criança
WI-FI

Foto: Click Estúdio/Acervo Belotur

Foto: Click Estúdio/Acervo Belotur

Foto: Click Estudio/Acervo Belotur

Javascript is required to view this map.