Santuário do Bom Jesus de Matosinhos

O Santuário de Bom Jesus de Matosinhos foi inscrito no Livro do Tombo de Belas Artes pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1939. Seu reconhecimento como Patrimônio Mundial pela Unesco ocorreu em 6 de dezembro de 1985. Situado no estado de Minas Gerais, no município de Congonhas do Campo e construído na segunda metade do século XVIII, representa uma das obras-primas do barroco mundial. O conjunto edificado consiste em uma igreja, com interior em estilo rococó, adro murado e uma escadaria externa monumental decorada com estátuas de 12 profetas em pedra sabão e seis capelas, dispostas lado a lado no aclive frontal ao templo, denominadas de Passos, ilustrando a Via Crucis de Jesus Cristo. Sua inspiração é fortemente relacionada a exemplares portugueses como a Igreja de Bom Jesus do Monte, em Braga, e ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, Portugal. As 66 esculturas de madeira policromada em tamanho natural, abrigadas nas seis capelas que reúnem os sete grupos de Passos da Paixão de Cristo, compõem um dos mais completos grupos escultóricos de imagens sacras no mundo, sendo, sem dúvida, uma das obras-primas do gênio criativo de Francisco Antônio Lisboa, o Aleijadinho, que deixou para a humanidade uma obra de grande expressão e originalidade. O Santuário de Bom Jesus de Matosinhos apresenta-se em bom estado de conservação, permitindo que sua materialidade exprima a importância e os valores a ele atribuídos, representando uma realização artística única e exemplo excepcional da arquitetura brasileira do Século XVIII. Desde a sua construção, em 1772, até o presente, atrai multidões por se constituir um lugar de peregrinação religiosa, cujo testemunho maior é a fabulosa coleção de ex-votos, abrigados na Sala dos Milagres. O conjunto edificado e escultórico do Santuário de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas, mantém seus valores intrínsecos: a Igreja do Bom Jesus; o adro com as estátuas dos profetas em pedra sabão; os passos e capelas com suas sete estações ambos concluídos em 1805; e expressivo conjunto escultórico representativo da Paixão de Cristo. Apesar do processo de transformação ocorrido com o crescimento urbano da cidade de Congonhas, decorrente do intenso processo de mineração de ferro, o Santuário mantém-se intacto e se constitui até os dias atuais em ícone da arte sacra e religiosidade no Brasil. 


Endereço: Praça do Santuário, s/nº - Congonhas
Complemento: Congonhas-MG

Telefone: 31 3731-1590
31 3731-1591

Horário de Funcionamento: 3ª a dom. das 6h às 18h

Javascript is required to view this map.