Espetáculo "Meu Saba"

Pedro Fulgêncio

Data: de 24.05.2018 até 03.06.2018

Local: Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB

Em novembro de 1995, aos 19 anos, Noa Ben-Artzi Pelossof foi escolhida para uma difícil missão: prestar homenagem ao então primeiro-ministro de Israel Ytzhak Rabin, seu avô, vítima de um assassinato que marcou o mundo. A força de suas palavras, que expressaram memórias afetuosas e relatos sombrios de uma guerra secular, deram origem ao livro “Em Nome da Dor e da Esperança”, inspiração do espetáculo “Meu Saba”, em cartaz no CCBB Belo Horizonte, entre 24 de maio e 3 de junho.
 
“Meu Saba” se passa nos 30 segundos que Noa Ben-Artzi leva para chegar ao púlpito onde fará a homenagem ao avô (saba, em hebraico). Nesse espaço temporal, ela revive sentimentos da infância passada na casa dos avós, uma mistura de amor de sua família e medo constante do ódio vindo de dentro e de fora do país.
 
Em 1994, Ytzhak Rabin recebeu o Prêmio Nobel da Paz devido ao Acordo de Oslo, que assegurou a autonomia palestina na faixa de Gaza e o fim do conflito entre a OLP (Organização para a Libertação da Palestina) e Israel. Um ano depois, o premiê foi morto por um radical israelense que discordava de sua visão sobre o conflito.
 
A atriz Clarissa Kahane, que vive Noa no espetáculo, é encantada com o texto desde a primeira leitura, realizada há mais de 10 anos. Ela ganhou o livro de sua avó, quando tinha 17 anos e decidiu, em parceria com o produtor Miguel Colker, levar esse relato emocionante para o teatro, dando continuidade à parceria com o diretor Daniel Herz, com quem trabalhou em diversos projetos como atriz e diretora assistente. Segundo Herz, “em um momento de tantas incertezas, tantos radicalismos macabros, encenar 'Meu Saba' traz um alento, a possibilidade da coexistência pacífica na diferença.”
 
DEBATES PÓS SESSÕES
 
Após o espetáculo dos dias 26 e 27 de maio e 2 de junho serão realizados debates com representantes da comunidade judaica e participação da atriz Clarissa Kahane e do diretor Daniel Herz.
 
Dia 26 de maio | Bate-papo com a presença da israelense Revital Poleg, representante geral da Agência Judaica no Brasil e ex-assessora de Shimon Peres, primeiro ministro e presidente de Israel e João Koatz Miragaya, representante do Movimento Juvenil Habonim Dror Brasil e da Agência Judaica.
 
Dia 27 de maio | Uri Lam, rabino na Congregação Israelita Mineira, psicólogo e filósofo, irá conversar com o público sobre a questão da “Coexistência no Estado de Israel”, partindo de conhecimentos construídos pelo próprio Yitzhak Rabin, Shimon Peres e Amos Oz.
 
Dia 2 de junho | Marcos Brafman, presidente da Câmara Brasil-Israel Comércio e Indústria de Minas Gerais e ex-presidente da Federação Israelita do Estado de Minas Gerais, discutirá sobre o tema: “Por que não foi criado o Estado Palestino”. Ele pretende fazer um resumo dos fatos ocorridos desde 1947 quando a ONU votou a Resolução 181 da Partilha da Palestina do Mandato Britânico criando dois estados na região – um estado para os judeus e um estado para os árabes. Desde então, foi fundado e desenvolvido o Estado de Israel e não foi criado pelos árabes o estado denominado, a partir de 1967, como o Estado Árabe Palestino.
 
OFICINA DIRIGINDO MONÓLOGOS COM DANIEL HERZ
 
Nos dias 26 e 27 de maio, o diretor do espetáculo “Meu Saba”, Daniel Herz, vai conduzir a oficina “Dirigindo Monólogos”. As aulas ocorrem de 14 às 18 horas, no Galpão Cine Horto (Rua Pitangui 3613, Horto). Por meio de exercícios, a ideia é aprofundar a visão do ator sobre a cena não naturalista. Domínio do ritmo, conhecimento da energia (contenção, explosão, suave, vigoroso etc.). Redimensionamento do espaço real de uma situação formam um leque de exercícios e técnicas para se ter uma melhor abordagem sobre o ator e conseguir buscar uma expressão não naturalista para explorar a questão: de quem estamos acompanhados em cena, sem ficar só no discurso conceitual do termo. Inscrições: https://bit.ly/2G7wr8U . Público-alvo: estudantes e profissionais de teatro a partir de 18 anos.

Informações Adicionais:

Dias e horários: 5ª a domingo, às 20h
Classificação: 12 anos
Duração: 60min

http://culturabancodobrasil.com.br


Alguns eventos deste espaço:

22.08.2018

18º Prêmio BDMG Instrumental apresenta João Machala

O responsável por abrir o programa é o trombonista João Machala. O músico subirá ao palco do Teatro I, do CCBB-BH, acompanhado por Breno Mendonça (saxofone tenor e soprano), Felipe Vilas Boas (...